Capa: a embalagem que importa

capa

“Todos os livros são julgados pelas suas capas até serem lidos”

Maryrose Wood.

Eu sei, você sempre ouviu aquela frase “não julgue um livro pela capa” e, certo, ela pode servir para quando falamos sobre pessoas, mas quando o assunto é livros não é bem assim.

Indireta ou diretamente nosso cérebro é programado pré-julgar o conteúdo de um livro a partir da primeira coisa que ele vê: a capa. Muitos estudos já comprovaram, inclusive, a influência que a capa tem sobre a venda do livro, seja de modo positivo, fazendo com que a compra seja efetuada; ou negativo, fazendo o livro retornar à prateleira ou ser trocado pelo do lado em questão de segundos.

Isso porque a capa induz o leitor a imaginar a história por trás delas e, dependendo do que a capa transmite, do que ela conta, as pistas que dá, pode instigar ou afastar o leitor de maneira praticamente automática.

Afinal, é a capa que fica exposta nas prateleiras e que se apresenta nas barras de pesquisa na internet. Ela é quem recebe as primeiras impressões de um potencial leitor.

Quando estamos falando de autores iniciantes no mercado, essa temática é ainda mais relevante. Num mar de livros e mais livros publicados, como o seu vai se destacar instantaneamente, sabendo que a primeira coisa que se vê na lista de busca por livros são as capas? O ponto está ai! Com as novas possibilidades de publicação (como a UICLAP), a variedade de livros expostos aumenta exponencialmente, o que torna ainda mais necessário se pensar em como captar seu público alvo, literalmente, à primeira vista.

Em meus quase 3 anos trabalhando como designer de capa, desenvolvi técnicas e notei alguns macetes que são de extrema importância para a criação de uma boa capa. E, obviamente, vou deixar algumas dicas chaves para quem pretende criar a própria capa.

  1. Título sempre visível e legível: É a primeira coisa que o leitor vai buscar (e se não estiver bem visível, ele não vai se sujeitar a procurar em outro lugar!);
  2. Busque por imagens com boa resolução: Uma imagem em boa resolução muitas vezes evita com que a mensagem que você queira passar com todos os detalhes e elementos não sofra ruídos. Invista em boas imagens!
  3. Evite colocar muitas fontes diferentes ou que não casem: O leitor pode se perder entre um estilo e outro a depender das fontes usadas, além disso, o excesso de diferentes estilos pode causar uma poluição visual sem igual.
  4. Se atente ao gênero da sua história: capas têm estilos diferentes uma vez que as histórias são inseridas em diferentes gêneros e escritas para diferentes públicos. E isso interfere tanto na imagem escolhida para capa quanto na tipografia (o arranjo de fontes).
  5. Revise todos os textos que vão na imagem: Designer não é revisor! (Dá um alô para seu revisor e pede para ele passar uma olhada na sua sinopse, agora!)

Capa: a embalagem que importa

2 pensou em “Capa: a embalagem que importa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo