Você sabe o que é plot twist?

plot twist

Plot twist ou a reviravolta certa, é capaz de deixar o leitor preso na história e muito mais envolvido!

Uma reviravolta bem-executada pode ser um ótimo motivo para uma recomendação, não é mesmo?

Pensando nisso, a gente listou alguns exemplos de sucesso:

  1. O Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris
  2. Psicose, de Robert Bloch;
  3. Gone Girl, de Gillian Flynn;
  4. Os Outros, de Christina Baker Kline;
  5. A Casa da Rua Sésamo, de Margaret Wise Brown.

Mas o que é reviravolta?

A reviravolta é uma ferramenta poderosa para surpreender o leitor e deixá-lo ainda mais interessado na história.

O ponto é que uma reviravolta bem-sucedida é aquela que faz sentido dentro da história, e não apenas uma surpresa aleatória sem relação com nada.

Uma reviravolta pode ser um ótimo plot twist, mas ela precisa ter um propósito e uma razão para existir. Caso contrário, ela pode deixar o leitor frustrado e confuso, o que pode afetar negativamente a experiência de leitura. 

O que isso significa? Que para escrever um livro surpreendente, você precisa ser surpreendente! Precisa quebrar as expectativas do leitor, mostrar-lhe algo que ele não esperava. Isso não significa, necessariamente, que precisa escrever um enredo totalmente inesperado. Às vezes, o leitor pode esperar pelo óbvio, mas ficar surpreso com os detalhes. Outras vezes, o leitor pode ter uma ideia geral do que vai acontecer, mas não conseguir adivinhar os detalhes. 

O importante é que, para escrever uma história surpreendente, você precisa pensar fora da caixa. Precisa ser criativo e inovador. Precisa pensar em coisas que o leitor não espera.

Como criar segurança no leitor para removê-la depois?

O grande truque é nunca deixar o leitor ciente da verdadeira natureza do personagem ou do enredo. Não revelar as intenções de forma explícita.

Uma das técnicas mais antigas para criar expectativas falsas é usar a ironia. Isso é feito quando o autor diz uma coisa, mas quer que o leitor interprete de forma diferente. Outra forma de enganar o leitor é criar uma situação que pareça impossível de ser resolvida, mas que, na verdade, tem uma solução bem simples.

Enfim, existem diversas formas de enganar o leitor, mas lembre-se: faça isso com moderação e de forma que o leitor ainda se sinta satisfeito com a história, mesmo que ela não seja exatamente como ele esperava.

É bom lembrarmos que fãs de mistério costumam tentar ser bons em desvendar segredos. Todo bom leitor já conhece de cor os clichês do seu gênero favorito. Para quem escreve, isso é bom e ruim, depende do objetivo com o texto.

Exemplos de plot twists que podem dar e dão certo:

1 – A desgraça tá pronta!

Quando o leitor pensar que tudo de ruim já passou, o escritor vai lá e constrói algo pior. Mas olha, você só deve usar essa ferramenta se quiser realmente chocar o leitor de alguma forma.

As Crônicas de Gelo e Fogo, do escritor George R. R. Martin, é um exemplo disso. Os livros surpreendem os leitores de maneiras diferentes, a maior delas é pelo choque.

2 – O problema não era o problema!

Esse truque é garantir que o mal não era o que o herói pensava. Por exemplo, o herói pensar que derrotou o vilão. Você pode trabalhar em um segundo vilão, ou pode fazê-lo se fingir de morto, pode preparar um desafio.

Esse tipo de reviravolta precisa ser bem trabalhada, o escritor não pode ser muito didático, não deve entregar detalhes, mas também não deve deixar o leitor às traças. Precisa dar algumas coisas, sem entregar outras. Por isso, é preciso não ter pressa com a criação.

3 – Tudo não passava de uma ilusão!

Aqui você pode escrever um livro no qual o protagonista tenha um caminho, mas em dado momento, o leitor começa a se questionar se aquilo é real, até ser surpreendido pela farsa. O protagonista não viveu, não fez, nada era aquilo que se esperava.

Um ponto de observação: Não dê ao seu leitor a oportunidade de perceber que tudo não passa de uma farsa até o final da história. E não jogue fora todo o interesse na sua história, dizendo que tudo não passava de um sonho. Isso é péssimo para a sua reputação como escritor.

4 – O protagonista estava morto!

Ainda que seja difícil de acreditar, essas histórias são possíveis. E o que faz com que elas sejam tão surpreendentes é justamente como elas são apresentadas.

Sempre há um grande mistério envolvendo a personagem principal, o que faz com que o espectador fique curioso o tempo todo. E quando a verdade é finalmente revelada, ela acaba sendo ainda mais inacreditável do que a ficção.

5 – O narrador estava lá o tempo todo!

A escolha do narrador é uma das primeiras e mais importantes que o autor fará ao começar a escrever uma história. A identidade do narrador pode ser um mistério o tempo todo, ou pode ser revelada ao longo da história.

De qualquer forma, o narrador deve ser uma personagem que o leitor jamais imaginaria. Isso torna a história mais interessante e dá mais liberdade ao autor para contar a história da forma que quiser.

Este artigo não foi ótimo?! Tudo que você precisa é ter liberdade criativa para fazer um plot twist, lembre-se que precisa ser interessante e inesperado. Mas tome cuidado para não ser óbvio ou exagerar.

Publicar um livro é uma tarefa de muitas etapas, por isso a gente está aqui para te ajudar a entender até os mínimos detalhes. Assim, o seu livro ficará muito bom! Tudo vai depender do tempo que dedica a ele.

Fez sentido para você? Não esqueça de contar pra gente se já usou algumas das reviravoltas mencionadas!

Você sabe o que é plot twist?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo