Qual é a melhor técnica para escrever um livro?

Qual é a melhor técnica para escrever um livro?

Muitos escritores começam um livro e nunca terminam, já outros, chegam a concluir o texto, mas engavetam. Quer saber um segredo? Escrever um livro e publicar é possível!! A gente separou três passos para que você não se torne um dos que ficam pelo meio do caminho. Vamos nessa?!

Escrever um livro é difícil, mas não precisa ser um monstro dentro do armário. A chave para o sucesso de um escritor é a disciplina! O grande elefante na sala de muitos escritores é o tempo. 

A gente sempre está fazendo um monte de coisas o tempo todo, muitas vezes, escrever não é a prioridade e acaba por ficar em segundo plano. Saiba que há uma forma prática de mudar isso, mas vai exigir disciplina, persistência e saber usar o tempo, curto ou não, a seu favor. 

A melhor técnica de escrita é dividi-la em três partes, ela não diz respeito somente à escrita, mas vai ditar algumas regras de como você usa o seu tempo e seu foco: 

Passo 1: O Início do caminho

Quando a gente começa um projeto novo, a empolgação é enorme, isso não é ruim, em parte, mas é preciso atenção. A empolgação te faz pular etapas na organização de um projeto extenso como um livro. 

Então anote aí: Começar pelo começo! Parece redundante, mas não é! Você não deve negligenciar os passos iniciais do processo. 

Decida sobre o que é o livro

Escreva uma frase que explique sobre o que é o livro, reserve cerca de trinta minutos de um dia para isso, use o tempo para pensar no porquê do tema escolhido. Feita a frase, você pode escrever um parágrafo que resuma a sua ideia. Deixe esse parágrafo descansar. 

Volte no dia seguinte, sem falta, e em mais trinta minutos reservados, escreva uma página inteira da história, baseada no parágrafo que você fez. Deixe reservado. 

Sabe o dia seguinte? Sim, você volta também, em mais um tempo reservado, você vai pensar em tópicos sobre o tema que criou na página. Esses tópicos vão servir como um índice para te guiar. 

Tenha atenção no momento da escrita, releia o parágrafo e a página que você criou, deixe o texto claro e conciso, ou seja, de fácil entendimento. Nesse primeiro passo, o conselho é: seja paciente. O começo precisa ser trabalhado com calma, tá? Aproveite para ser bem criativo, capricha aí!

Ok, você deu esse passo importante no início, mas ainda tem mais. Vamos para a segunda etapa do começo. 

Defina uma meta de palavras por dia 

Momento de tensão aqui. No tempo que você vem usando para escrever todos os dias, deve caber essa meta de palavras, então não trabalhe com uma meta irreal. Seja realista com o tempo que reservou e com sua capacidade de criar um bom texto. Aqui é o exercício da transparência. Seja honesto com você mesmo. 

Você não precisa escrever mil, três mil ou  cinco mil palavras. Se tem condições de escrever duzentas, o importante  é não fazer comparações com outros escritores, e cumprir a sua meta com felicidade,  sabendo que você está dando o seu melhor. 

Só para recapitular o ponto: Você não precisa escrever muito, mas precisa escrever com frequência, de preferência, todos os dias. 

Escolha o seu cantinho do trabalho 

Sim! Acredite, escolher um cantinho para escrever faz diferença. Olhe para o lugar onde se sente melhor, onde não será incomodado ou onde consegue se dedicar, dentro da realidade em que vive. Escolha o lugar e o batize como seu, ou seja, vá para lá sempre que for escrever. 

Por que fazer isso? Escolher um lugar para escrever condiciona o cérebro a entender a importância da atividade e você consegue exercitar melhor a sua criatividade. Escolha o seu lugar, siga essa experiência, depois conta pra gente o que achou. 

Aplique esse primeiro ponto por, pelo menos, quinze dias seguidos. O ideal é conseguir seguir por um mês. Veja que pode ser adaptado ao tempo que você tem e à disponibilidade que cabe na sua realidade. O importante é ter disciplina e foco. 

Se conseguir manter essa etapa e começar a ver os resultados, você ficará muito feliz. Espere para ver como ficará com a conquista do próximo passo! 

Passo 2: Meio do caminho!

Pense em dois possíveis finais para a sua história. Anote. 

Releia todo o texto que criou até aqui e analise com qual final o seu texto mais combina. Para isso, leve o tempo que precisar. A partir daí, a meta de palavras aumenta. 

Sua história precisa encorpar… 

… assim como os personagens, a ambientação, a estrutura dos seus capítulos e do texto. Para que você estipule sua própria meta, vamos deixar uma base de tamanho de texto para você não se perder no projeto: 

Ficção – Romance: tem aproximadamente de 41.000 a mais de 150.000 palavras;

Ficção – Novela: tem entre 19.000 a 40.000 palavras; 

Ficção – Noveleta: entre 18.000 a 25.000 palavras; 

Contos: entre 7.000 a 18.000 palavras;

Não Ficção: pode ir desde 20.000 a mais de 150.000 palavras; 

Jovem-Adulto: entre 20.000 a 100.000 palavras; 

Novo Adulto (new adult): entre 40.000 a mais de 100.000 palavras; 

Livro infantil: entre 250 a 1500 palavras;

Crônicas: entre 7.000 a 20.000 palavras; 

Poesias: pode ir de 10 a 100 poesias por projeto. 

Lembrando que isso é apenas uma estimativa, não é uma regra, não está escrito na pedra. É para ajudar você a ter uma perspectiva de tempo e de quantidade de trabalho para concluir o seu livro. 

Comemore suas pequenas vitórias

Bora alinhar essa produção com a divulgação e o seu marketing?! Esse é o momento! 

Completou uma meta semanal, conseguiu escrever todos os dias, sem perder seu foco de tempo? Divida esse progresso nas suas redes sociais! Comemore seu alvo, compartilhe essa felicidade com seus leitores ou potenciais novos leitores, deixe todo mundo ver o que você conseguiu! 

Isso mostra que o livro está cada vez mais perto de se tornar real e empolga seus seguidores. É fato que felicidade atrai felicidade e as redes sociais são a prova disso. Use sua empolgação a seu favor. 

Hora da opinião

Escreveu por um ou dois meses sem perder o seu foco? Maravilha! Agora é o momento de saber o que um leitor acha do que você criou até esse ponto. Estipule um prazo para que ele te dê o feedback do que leu, peça honestidade e saiba ser maduro para lidar com possíveis críticas, elas são necessárias para a sua evolução na escrita. 

Após receber o feedback, tire um tempo para avaliar o que vai alterar e o que vai manter, de acordo com o seu objetivo. Tenha em mente o que o leitor espera e aponta, mas não perca a sua essência no processo. 

Passo 3: E Acabou! 

Aí você pergunta: quando é que um autor sabe que acabou? A resposta é: não existe resposta para isso. Cada um tem seu tempo e seu objetivo, além disso, cada um tem um grau de conhecimento e está em uma realidade. O nosso país é bem diverso até na escrita, por isso é importante não se comparar. 

Sabe a frase de mãe: você não é todo mundo? Você não é mesmo! Então leia suas anotações lá do primeiro passo e relembre qual era a sua meta. 

Se você atingiu a meta de contar uma história completa, então é aqui que o fim começa. 

Tenha comprometimento com o tempo. 

Releia tudo o que criou e, a partir disso, ajuste o que achar necessário e evite voltar depois disso. Estipule uma meta para encerrar a escrita e respeite o seu prazo. 

Assim como no trabalho secular existem prazos para entregar metas, na escrita deve haver prazos reais para que um livro seja concluído. 

Deixe o texto descansar. 

O texto descansa, você não! Aproveite esse tempo longe do que criou para pesquisar textos similares ou para estudar um pouco sobre o processo de escrita. Anote o que achar importante. Não deixe a rotina que criou até aqui se perder. 

Esse período é muito importante para que você consiga enxergar inconsistências, erros, furos na sua história e consiga até mesmo dar uma revisada na gramática e na ortografia. 

Agora você deve estar se perguntando, quanto tempo dura o descanso? O tempo que você estipular. A ideia é que você consiga determinar sozinho seus prazos. Só um conselho é que não demore demais para voltar. 

Volte ao trabalho! 

Passado um período de descanso, comece a reler o seu texto. 

Uma dica: leia tudo fora de ordem. Isso vai te ajudar a enxergar tudo com mais facilidade. 

Ajuste o que for necessário, não tenha pressa com esse processo de ajustar e conte com a ajuda de um leitor fiel para ler as melhorias. 

Veja bem: Apenas as melhorias! O texto por inteiro ele já teve a oportunidade de ver na segunda fase. 

Se tudo estiver dentro do esperado, seu processo de criação chegou ao final! 

Como você pode imaginar, essas dicas ajudam tanto a organizar o seu tempo, como a te dar uma rotina para que você consiga escrever bem. 

Agora o passo seguinte é preparar esse texto para virar um livro e, depois disso, prepare-se para publicar. 

Publicar um livro é a parte mais tranquila, graças a UICLAP! Afinal, no Portal do escritor você encontra tudo o que precisa para enviar o seu texto, fazer ou enviar a sua capa, decidir o quanto quer ganhar e publicar em tempo real. 

Viu só? O caminho às vezes parece ser mais desafiador do que realmente é. Com disciplina, foco, persistência e frequência o livro sai da imaginação para o mundo real. 

A partir daí você já pode trilhar o seu caminho de sucesso. Agora conta aqui: já fez uma rotina de escritor assim? Esse artigo te ajudou? Deixa seu comentário pra gente saber a sua opinião! 

Qual é a melhor técnica para escrever um livro?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo