O que é Discurso Narrativo? Como podemos percebê-lo no texto literário?

O que é Discurso Narrativo?

O Discurso Narrativo é uma extensão da narração e da linguagem que acontece de maneira quase natural, porque é a representação das falas das personagens. Como em uma dança, os três elementos narrativos se completam e atuam juntos. Vem entender melhor com a gente!

O discurso narrativo é o elemento que expõe as vozes, ou tonos, das personagens. Isso quer dizer que é por meio dele que saberemos como as personagens entonam seus pensamentos, falas, expressões, resmungos, introspecções, reclamações, etc.

Por que o Discurso Narrativo é importante? 

Em um romance (e aqui falamos do tamanho de texto, não do gênero) é preciso que o leitor saiba diferenciar o narrador das demais personagens no enredo, mesmo se o narrador for uma personagem. A divisão entre o relato de uma e as falas de outra, deve ser clara para quem lê. 

É importante que exista essa característica no texto literário para que o discurso de alguma personagem não se confunda com a linguagem. O discurso vai mergulhar nas estruturas das falas, pesando características que dão diferença nas vozes das personagens. Já a linguagem, vai pontuar códigos, tipos e sentido da mensagem. 

Para simplificar: A linguagem diz o tipo de mensagem, o discurso diz com qual voz essa mensagem foi transmitida. 

Ah! Atentem para essa observação: Cuidado para não confundir Discurso Narrativo com Discurso em Análise, tá?! Este segundo acontece apenas no estudo da linguística, não na criação literária. 

Tipos de Discurso Narrativo

Discurso Direto: 

É caracterizado por ser um registro integral da fala da personagem no texto. Nesse tipo de discurso não há interferência do narrador, não há interpretação de outras personagens. O que é dito, segue exatamente como é dito.

Resumindo:  Esse discurso dá ao leitor as palavras exatas da personagem que fala.  

O discurso direto é percebido em um texto pelo uso do travessão (㇐), pelo uso dos dois pontos antes de uma fala (:), pelo uso de aspas para destacar a fala (“”), sempre precedido ou posposto por verbos de elocução (dizer/disse; falar/falou; comentar/comentou). Há também romancistas que separam as falas de suas personagens entre vírgulas — um uso mais recente, mas também aceito como os outros. Existem também romancistas mais ousados, como José Saramago que não separa absolutamente nada e o leitor que lute. 😂

Mas olha, a menos que você tenha um exímio conhecimento de regras gramaticais e ortográficas, assim como domínio na construção narrativa literária, não se arrisque como Saramago. Para construir o diálogo, aposte no simples! Pense sempre no seu público-alvo antes de escolher. 

Discurso Indireto: 

Apresenta as falas das personagens, usando o narrador. Ele faz a mediação entre o que a personagem realmente disse e o que o leitor vai receber. Nesse tipo de discurso, temos uma interferência do narrador clara. Ele julga, opina e dá as falas das personagens usando seu ponto de vista. Ou seja, aquela pessoa que mete o bedelho. Como o discurso indireto tem essa interferência, não precisa de pontuação específica para separar o texto do que as personagens falam. 

Recomendação de leitura: Os Sertões de Euclides da Cunha.

Em determinada parte da narrativa. Ao falar sobre uma arma de fogo, lemos:

Desarticulou-lhe agilmente os fechos, como se fosse aquilo um brinco infantil predileto. Perguntaram-lhe se havia atirado com ela, em Canudos. Teve um sorriso de superioridade adorável

Discurso indireto livre: 

O meio-termo, a mescla entre discurso direto e indireto. Onde se usa a separação de falas, por meio das pontuações como vimos, mas também a interpretação, julgamento ou opinião do narrador para construir algumas falas. 

Geralmente esse estilo é usado para mesclar as falas e os pensamentos das personagens, de maneira que o leitor não se perca. Um fica para a expressão (o que é realmente dito, em discurso direto) e o outro fica para as ações e pensamentos (o que a personagem imagina ou raciocina fazer, em discurso indireto).

Gostou? Esse é só mais um dos importantes elementos narrativos que podem te ajudar a escrever melhor. 

Como escritor, é importante sempre tirar tempo para estudar e entender os elementos que compõem um texto. Afinal, essa será a sua criação. Tenha carinho, cuidado e deixe o leitor sentir esses sentimentos também. 

A UICLAP se preocupa em tornar o conhecimento sobre escrita, produção e publicação acessíveis. Nosso objetivo é que você se sinta seguro e materialize o seu sonho de publicar. 

A autopublicação está se destacando cada vez mais. Aproveite para desenvolver ainda mais as suas habilidades, não perca a oportunidade de fazer parte desse avanço. Conte sempre com a gente para aprender mais, tirar dúvidas e se autopublicar sem medo! 

O que é Discurso Narrativo? Como podemos percebê-lo no texto literário?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para o topo