Devaneios de um rabisco em versos livres

Devaneios de um rabisco em versos livres

“Que me intitulem louco, admito que o sou, mas que nunca me digam “normal”. Eis o insulto ao qual não admito, normal é aquele que aceita, se mistura e perece aos padrões. A mim, prefiro que atirem a uma matilha, do que a um bando de mentes robotizadas. Aos meus devaneios, pois então, sou grato, e com eles, viverei abstrato.” 

O “Devaneios de um rabisco em versos livres” trata-se de uma antologia que agrega escritos poéticos e textos autorais desenvolvidos por um ser humano como qualquer outro, vivendo uma busca incessante por um lugar e espaço a habitar dentro de si mesmo. 

Sejam muito bem-vindos ao meu lar, sintam-se em casa.

Por: Brunna Aragão

Devaneios de um rabisco em versos livres

“Que me intitulem louco, admito que o sou, mas que nunca me digam “normal”. Eis o insulto ao qual não admito, normal é aquele que aceita, se mistura e perece aos padrões. A mim, prefiro que atirem a uma matilha, do que a um bando de mentes robotizadas. Aos meus devaneios, pois então, sou grato, e com eles, viverei abstrato.” 

Devaneios de um rabisco em versos livres

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo